Polícia investigará perda de 500 doses de vacina

O prejuízo financeiro é grande, mas as consequências e efeitos para a saúde pública podem ser ainda maiores.

Resta saber se alguém falhou e será responsabilizado.

A Polícia Civil registrou a ocorrência e deve instaurar inquérito para investigar se houve erro humano ou se apenas a queda de energia elétrica, verificada no final de semana, foi responsável pela perda de aproximadamente 500 doses de vacinas que se encontravam armazenadas no prédio da Estratégia Saúde da Família do bairro Bela Vista mantida pela Prefeitura Municipal de Assis.

A enfermeira responsável por aquela unidade de saúde, Aila Graziela Pereira Alves, decidiu procurar a Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência na manhã de terça-feira, dia 26 de fevereiro, comunicando a perda de todo o estoque de vacina.

Antes de comparecer à Central de Polícia Judiciária, a coordenadora comunicou o fato aos superiores, na Secretaria Municipal da Saúde, e solicitou ao Departamento de Vigilância informações se o ‘rondante’ teria notado alguma anormalidade nos horários em que passou pela unidade no final de semana.

A imediata comunicação da queda de energia à coordenação da unidade, como prevê o protocolo de segurança, poderia ter evitado o estrago e consequente prejuízo.

“Apesar de nossa câmara fria ter uma autonomia de 12 a 20 horas após a queda de energia, há outros dispositivos de segurança que permitem notar o problema. Há censores instalados na câmara fria que emitem um sinal sonoro. Além disso, a lâmpada do cômodo onde está o freezer permanece acesa 24 horas. Se ela estiver apagada é porque houve queda de energia”, explicou.

Para ela, esses sinais podem ser notados pelo vigilante quando ele passa pela unidade, como já aconteceu anteriormente. “Quando isso ocorre, geralmente o vigia nos aciona e alguém se desloca até o prédio para religar o equipamento onde estão armazenadas as vacinas”, explicou Aila.

A suspeita é que a queda de energia elétrica tenha ocorrido na madrugada de sábado para domingo ou durante o dia de domingo. “Quando chegamos na unidade, na manhã de segunda-feira, a temperatura da câmara fria marcava 26 graus. “O normal seria estar entre quatro graus negativo a oito graus positivo”, explicou Aila.

Todo o material perdido foi recolhido pela equipe da Vigilância Epidemiológica, que tem dado toda assistência à coordenadora do Estratégia Saúde da Família ‘Bela Vista’.

A enfermeira não sabe calcular o prejuízo financeiro com a perda das vacinas, mas garantiu que nenhum usuário do bairro foi ou será prejudicado. “Os casos mais urgentes estão sendo encaminhados para a Unidade Básica de Saúde do Bonfim e os demais terão reagendadas novas datas para a vacinação”, disse ela.

SOBRECARGA – Recentemente, o prédio da Estratégia Saúde da Família ‘Bela Vista’ recebeu a instalação de dois aparelhos de ares condicionados. Não está descartada a hipótese de ter havido uma sobrecarga de energia em razão de a rede não suportar o aumento do consumo pela ligação dos novos equipamentos.

Depois do problema detectado no final de semana, a Secretaria Municipal da Saúde já providenciou a troca do disjuntor de energia.

DOSES – As doses de vacina estragadas com a queda de energia e alteração na temperatura foram as seguintes: febre amarela, hepatite A, hepatite B, poliomielite, poliomielite (oral), raiva, varicela, dupla/adulta (tétano), rotavírus, HPV, pentavalente, DTPA, DTP, sarampo/caxumba/rubéola, pneumonia, meningo C e influenza.

freezer bela vista

Freezer onde estavam as vacinas

 

 

 

 

Veja também

A224 – COPA PAULISTA – De virada, fora de casa, VOCEM vence vice-campeão da A-3 e entra na briga por vaga

O melhor presente para torcida do VOCEM, na véspera que o clube completou 70 anos …

Deixe uma resposta