114 – FALA, JÚLIO GARCIA – Para os músicos da noite!

Em uma noite típica de São José do Rio Preto, quente e abafada, abriguei-me na rede do quintal em busca de uma brisa.

O muro baixo trazia ruídos da casa ao lado. Havia inquilinos novos. Naquela noite, davam uma festa.

Os vizinhos anteriores tinham sido problemáticos. Alternavam insultos e sopapos ruidosos. Suas festas varavam madrugadas, som alto, repertório baixo. As músicas rimavam travesseiro com “desespeiro”.

Os novos vizinhos também cantavam e falavam alto. Mas cantavam Chico Buarque, Tom Jobim, Edu Lobo, Vinícius, Geraldo Azevedo, João Gilberto, Paulinho da Viola… Na solidão, vi-me bem acompanhado, como em uma serenata.

Acho que cochilei. Quando acordei, eles haviam reduzido o volume, mas continuavam com a cantoria e animação.  Passava da meia-noite. Arrastei a cadeira até o muro, subi e fiz uma advertência:

– Vou chamar a polícia se continuarem a cantar baixo.

Creio que ficamos amigos. O novo vizinho era Menê Crozara. Sábado passado, ele lançou um segundo CD, com sambas de Fernando Marques. Fui ver o show no Passatempo. E voltei feliz como o trabalho desses artistas da noite, cada vez mais sem espaço nos bares da cidade.

fala, julio garcia

Júlio Cezar Garcia é jornalista e um dos fundadores do Jornal da Segunda

 

Check Also

A032 – Morre Pancho Massagista

Morreu em sua residência, no Jardim Paraná, na madrugada desta quarta-feira, dia 10 de abril, …

Deixe uma resposta