Home / CIDADE / Prefeitura acusa jornalista Luís Nassif de divulgar ‘notícia falsa’ sobre Assis
23 setembro luis nassif

Prefeitura acusa jornalista Luís Nassif de divulgar ‘notícia falsa’ sobre Assis

A Prefeitura Municipal acusou o renomado jornalista Luís Nassif de ter divulgado ‘notícia falsa’ sobre Assis.

Em nota oficial, publicada no portal institucional na noite desta terça-feira, dia 22 de setembro, a Prefeitura afirmou: “É ‘fake news’ que Assis é a segunda cidade do país com maior número de infectados por COVID-19”

A publicação é referente a uma notícia dada pelo jornalista durante transmissão ao vivo, feita na noite da última quarta-feira, dia 16 de setembro.

De acordo com os gráficos exibidos na tela pelo conceituado comunicador Luís Nassif, apareceram as maiores incidências na taxa de contágio entre os municípios com mais de 100 mil habitantes no Brasil.

O gráfico apresentado por ele exibiu a região da área norte, no Amapá, na liderança do ranking e, na segunda posição, o município de Assis, no interior do Estado de São Paulo.

O JSOL –Jornal da Segunda On Line– e o Jornal de Assis repercutiram a transmissão de Nassif, mas informaram que “apesar de exibir o gráfico, o jornalista não comentou os números de cada município”.

A nota oficial da Prefeitura de Assis disse que a “matéria veiculada no Jornal de Assis nessa (sic) terça-feira, 22, assim como pelo Jornal da Segunda, formato online, com o título ‘COVID-19: Assis aparece em 2º lugar do país em números de contágio’, contraria dados do SEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados) do Portal de Estatísticas do Estado de São Paulo”.

Continua o portal oficial: “a notícia reproduz informações prestadas pelo jornalista Luís Nassif, em 16 de setembro, com referência ao aumento da contaminação da doença nos últimos 30 dias, ou seja, até 15 de setembro”, explica.

Na sequência, a nota oficial, afirma que “para comprovar que Assis não é a segunda cidade com maior índice de contaminação e nem de letalidade, são apresentados alguns dados de municípios da região, com cidades com mais de 100 mil habitantes”.

Prossegue a nota, dizendo que “o avanço da doença nos 30 dias mencionados pelo jornalista e reproduzido por alguns veículos de comunicação local é de fato de 278 casos em Assis. Média de 9,2 casos positivos ao dia e aumento percentual de 31,69% no mês”.

Logo depois, a Prefeitura Municipal exibe um balanço de casos registrados em várias cidades.

“Confira balanço de casos confirmados da doença desde o início da pandemia, óbitos, taxa de letalidade e o número de casos da doença de 15 de agosto a 15 de setembro, assim como o percentual de evolução do novo Coronavírus em cada um dos municípios com mais de 100 mil habitantes, que foi objeto de análise do comunicólogo colocando Assis em condição de inferioridade em relação a outros milhares de municípios do país.

Os dados apontados desde o início da pandemia são de 22 de setembro:

São José do Rio Preto: 464.983 habitantes
Casos confirmados: 15 agosto: 13.587 casos/ 15 setembro: 19.695 casos / evolução da doença em 30 dias: 44,95%
Desde início da pandemia:
Casos confirmados: 20.738 – 4,46% da população
Mortes confirmadas: 572 – taxa de letalidade: 1,42%

Bauru: 379.297 habitantes
Casos confirmados: 15 agosto: 5.513 casos/ 15 setembro: 8.944 casos/ evolução da doença em 30 dias: 62,23 %
Desde início da pandemia:
Casos confirmados: 9.896 – 2,60% da população
Mortes confirmadas: 175 – taxa de letalidade: 1,77%

Marília: 240.590 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 1.463/ 15 de setembro: 2.438 / evolução da doença em 30 dias: 66,64 %
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 2.714 – 2,13% da população
Mortes confirmadas: 48 – taxa de letalidade: 1,77%

Presidente Prudente: 230.371 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 2.759/ 15 de setembro: 3.855/evolução do doença em 30 dias: 39,72 %.
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 4.102 – 1,78% da população
Mortes Confirmadas: 117 – taxa de letalidade: 2,85%

Botucatu: 148.130 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 1.555/ 15 de setembro: 2.138/ evolução da doença em 30 dias: 37,49 %
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 2.253 – 1,52% da população
Mortes confirmadas: 41 – taxa de letalidade: 1,82%

Ourinhos: 114.352 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 1.353 / 15 de setembro: 1.884 / evolução da doença em 30 dias: 39,24 %
Desde o início da pandemia:
Casos Confirmados: 1.963 – 2,88% da população
Mortes confirmadas: 28 – taxa de letalidade: 1,42%

Assis: 105.087 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 877 / 15 de setembro: 1.155 / evolução da doença em 30 dias: 31,69%
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 1.234 – 1,17% da população
Mortes confirmadas: 23 – taxa de letalidade: 1,86%

Logo depois, a Prefeitura Municipal usa outros dados para contrapor a informação dada pelo jornalista Luís Nassif e enfatiza: “Agora, veja os mesmos dados para cidades da região com menos de 100 mil habitantes:

Lins: 78.503 habitantes
Casos confirmados; 15 de agosto: 1.920 / 15 de setembro: 2.298 / evolução da doença em 30 dias: 19,68 %
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 2.260 – 1,71% da população
Mortes confirmadas: 35 – taxa de letalidade: 1,55%

Lençóis Paulista: 68.990 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 2.147 /15 de setembro: 2.556 / evolução da doença em 30 dias: 19,04%
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 2.612 – 3,78 % da população
Mortes confirmadas: 44 – taxa de letalidade: 1,68 %

Garça: 44.409 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 230 /15 de setembro: 602 / evolução da doença em 30 dias: 161,73%
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 642 – 1,44% da população
Mortes confirmadas : 16 – taxa de letalidade: 2,49%

Rancharia: 29.726 habitantes
Casos confirmados: 15 de agosto: 359 /15 de setembro: 745/ evolução da doença em 30 dias: 107,52%
Desde o início da pandemia:
Casos confirmados: 792 – 2,66% da população
Mortes confirmadas: 12 – taxa de letalidade: 1,51%

E conclui informando que “os dados acima comprovam que Assis não é a segunda cidade do país, nem do estado e nem da região, com maior índice de contaminação em 30 dias (de 15 de agosto a 15 de setembro) e nem de letalidade.

Aliás, Assis, entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, nos 30 dias mencionados, é a que tem menor índice de contaminação, que é de 31,69%. Entre todas as cidades, incluindo as com menos de 100 mil habitantes, Assis ocupa a terceira posição.

Em relação à contaminação por habitante, desde o início da pandemia, Assis também é a cidade com menor índice, 1,17%, não somente entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, mas também nas elencadas acima”

Para finalizar a publicação, a Prefeitura Municipal recorre a uma nota emitida pela Secretaria Estadual da Saúde.

“Após a publicação da matéria que diz ser Assis a segunda maior cidade do país em contaminação, o Governo do Estado emitiu a seguinte nota:

‘Não procede a informação de que Assis (SP) é a 2ª região mais infectada do país. Os dados apresentados na matéria não condizem com os balanços notificados nos sistemas oficiais do Ministério da Saúde.

Na região que integra o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília, que engloba o município de Assis, foram confirmados, até hoje (22), 11.954 casos e 249 óbitos por COVID-19.

No dia 20, data mencionada pela reportagem, a região apresentava 11.781 casos e 245 óbitos.

A média móvel de internações também apresenta queda de 40% na região, em comparação com o mês anterior.

Especificamente no município de Assis, foram confirmados 1.187 casos e 23 óbitos até hoje (22).

Em 20 de setembro, a cidade estava com 1.168 casos e 23 óbitos.

Os casos de COVID-19 são informados pelas Vigilâncias municipais nos dois sistemas oficiais de notificação do Ministério da Saúde (E-SUS e SIVEP). O novo coronavírus é de notificação compulsória e os municípios devem notificar todos os casos e óbitos. Priorizando a transparência, a Secretaria extrai de ambos os sistemas os dados preenchidos por todas as cidades, fornecendo-os para consulta pública no site https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus”.”, finaliza.

QUESTIONADO – Diferente da Prefeitura Municipal de Assis, que decidiu, inicialmente, acusar o jornalista de produzir ‘fake news’, o JSOL – Jornal da Segunda On Line- e o Jornal de Assis, que reproduziram o gráfico e o comentário exibidos na transmissão, ao vivo, feita no dia 16 de setembro, preferiram encaminhar uma mensagem eletrônica ao jornalista na manhã desta quarta-feira, pedindo explicações sobre os gráficos apresentados na transmissão e ofereceram a oportunidade para ele se manifestar sobre a acusação de ter produzido ‘fake news’.

Segundo a assessoria do jornalista “a resposta deve ser encaminhada, no máximo, em três dias”.

QUEM É? – O jornalista Luís Nassif, acusado pela Prefeitura Municipal de emitir ‘notícia falsa’ sobre Assis, tem 70 anos de idade. Ele nasceu em Poços de Caldas, no dia 24 de maio de 1950. Foi colunista e membro do conselho editorial da Folha de S. Paulo, escrevendo por muitos anos sobre economia neste jornal.

Nas composições que faz dos possíveis cenários econômicos, não deixa de analisar áreas correlatas, que também são relevantes na economia, como o sistema de Ciência & Tecnologia.

Nassif também é compositor, bandolinista e pesquisador de choro.

PRÊMIOS – Luís Nassif foi vencedor do Prêmio de Melhor Jornalista de Economia da Imprensa Escrita do site Comunique-se nos anos de 2003, 2005 e 2008, em eleição direta da categoria. Também recebeu o Prêmio iBest de Melhor Blog de Política, em eleição popular e da Academia iBest

23 setembro luis nassif

Nassif foi acusado de divulgar ‘notícia falsa’ pela Prefeitura de Assis 

Veja Também

luto

Sepultamentos em Assis neste domingo

Há dois sepultamentos programados para este domingo, dia 25 de outubro, no Cemitério Municipal da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *