Home / DESTAQUE / Acusado pela agressão e morte de Robertinho está preso em Lutécia

Acusado pela agressão e morte de Robertinho está preso em Lutécia

Está preso na Cadeia Pública de Lutécia desde a segunda-feira, dia 11 de março, o chefe da equipe de segurança que prestava serviço no Clube da Terceira Idade de Assis na ‘Noite do Flash Back’, em 9 de fevereiro, quando o contador Roberto Donizete da Cruz, o Robertinho, de 53 anos, foi agredido e, dias depois, morreu na cidade de Marília, vítima de traumatismo craniano causado pelas agressões.

A notícia da prisão foi dada, com exclusividade, pelo repórter Mário Nunes, do Jornal de Assis, na edição desta quarta-feira, dia 13 de março.

O delegado José Roberto de Oliveira confirmou ao Jornal da Segunda que a Justiça autorizou o pedido de prisão temporária pelo prazo de 30 dias e o local da prisão. O advogado do acusado pela agressão e morte do contador Robertinho é Mário Sérgio Gonçalves Bicaclho.

O delegado José Roberto de Oliveira preside o inquérito policial do homicídio doloso e explicou ao Jornal de Assis que o acusado “trata-se de um morador da cidade de Marília, chefe de segurança da empresa que prestava serviços no clube na noite de nove de fevereiro, quando houve a confusão e, segundo relatos de testemunhas, Robertinho teria tentado apaziguar os ânimos, mas acabou sofrendo um soco no rosto e caindo com a cabeça no chão, resultando em grave lesão cerebral, vindo a falecer três dias depois”, disse.

Segundo o Jornal de Assis, “após a equipe de investigação da Polícia Civil ouvir testemunhas e convocar o acusado para dar seu depoimento, a Justiça expediu mandado de prisão, que foi cumprido somente na segunda-feira, quando o indiciado se apresentou na delegacia sob a orientação de seu advogado, Mário Sérgio Gonçalves Bicalho”, noticiou.

Informou ainda o J.A. que “o mandado é de prisão temporária, válido por até 30 dias e que, segundo o delegado, as alegações do chefe da segurança são de que ele teria sido ameaçado de morte pelo contabilista Robertinho e que este teria escorregado após ser contido pelos seguranças, vindo a cair no chão.

Ainda segundo o delegado, “há testemunhas afirmando que a vítima caiu na grama”.

No entanto, a defesa diverge de relatos de outras testemunhas, as quais informaram que o contabilista recebeu um soco e que, ser agredido novamente, caiu e bateu a nuca no chão de concreto.

Ainda, segundo o delegado, mais uma testemunha intimada para depor já teria antecipado uma versão incriminando o segurança.

No local da confusão não havia câmeras de segurança para captar imagens, mas o convencimento do delegado até o momento, segundo o Jornal de Assis apurou, “de acordo com os relatos testemunhais e provas colhidas, como um laudo do IML apontando lesão em um olho da vítima, são em desfavor do acusado”, lembra.

Disse o delegado: “o advogado de defesa, naturalmente, vai trabalhar para que o cliente responda pelo crime em liberdade até o julgamento e tente desqualificar o crime perante a Justiça, para passar de homicídio para lesão corporal seguida de morte. Mas para nós, para a Polícia, o inquérito e a investigação continuam no sentido de que foi Homicídio Doloso e qualificado por motivo fútil”, finalizou o delegado, em entrevistado Jornal de Assis.

cadeia lutecia com delegado

O segurança está preso na Cadeia de Lutécia, explicou o delegado José Roberto de Oliveira (detalhe)

Veja Também

luto

Três sepultamentos em Assis neste domingo, dia 23 de junho

Há três sepultamentos programados para este domingo, dia 23 de junho, no Cemitério Municipal da ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *