Alckmin e Haddad visitam Assis, encontram apoiadores e ouvem reivindicações

Os candidatos a governador de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e a vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (PSB), visitaram Assis na tarde desta sexta-feira, dia 2 de setembro. A candidata a vice-governadora, Lúcia França (PSB), também integrou a comitiva junto com Lú Alckmin e Estela Haddad.

Eles chegaram à cidade por volta das 14 horas, vindos de uma peregrinação iniciada em Avaré e que passou pela cidade de Ourinhos.

Márcio França (PSB), candidato ao Senado, que também viria a Assis, se desgarrou da comitiva em Ourinhos e seguiu diretamente para Marília, onde tinha encontro político e se juntou ao grupo no final de tarde.

Em Assis, Haddad e Alckmin foram recepcionado num restaurante na vila Ribeiro, onde centenas de convidados ouviram os primeiros discursos. Antes, os candidatos concederam entrevista coletiva a jornalistas e radialistas da cidade e região.

Geraldo Alckmin, que já visitou a cidade por várias vezes na condição de governador de São Paulo, justificou sua união com Luís Inácio Lula da Silva. “Precisamos resgatar a democracia nesse país”, disse.

O novo e mais importante filiado do PSB falou de suas intervenções na cidade enquanto governador, entre elas a vinda do Ambulatório Médico de Especialidades, construído e e entregue em seu mandato, no ano de 2013.

Ex-prefeito de São Paulo, o professor Fernando Haddad pediu apoio dos militantes na reta final da campanha. “Precisamos buscar o voto dos indecisos para governarmos São Paulo e o Brasil”, apelou.

EDUCAÇÃO – Durante a recepção no restaurante da cidade, Haddad recebeu reivindicações para a construção de um prédio próprio para a Faculdade de Tecnologia -FATEC- que funciona, de maneira improvisada, no campus da Unesp.

O candidato ao governo de São Paulo também recebeu informações sobre a necessidade de aumentar os investimentos na universidade pública (UNESP) e ouviu reivindicações de professores para melhorias no sistema educacional.

SAÚDE – Do restaurante, Haddad e Alckmin se dirigiram ao complexo hospitalar de Assis, onde passaram pela Santa Casa de Misericórdia e no Hospital Regional.

Na Santa Casa, eles foram recepcionados pela provedora Telma Andrade, que reuniu a maioria dos trabalhadores no saguão de entrada da unidade hospitalar.

Haddad e Alckmin (que é médico) discursaram aos funcionários e garantiram ‘portas abertas’ em São Paulo e Brasília às Santas Casas de todo país.

“Nasci na Santa Casa de Pindamonhangaba, fui médico na Santa Casa de Pindamonhangaba e meus filhos também nasceram na Santa Casa. Enquanto governador, destinei muitos recursos para a Santa Casa de Assis e o AME. Faremos o mesmo em São Paulo com o Haddad e em Brasília, com nosso presidente Lula”, prometeu.

Após se reunir com funcionários, a comitiva foi recepcionada pelo Conselho de Administração da Santa Casa e recebeu mais pedidos para aumentar o repasse na tabela de serviços prestados ao Sistema Único de Saúde.

Da Santa Casa, Haddad e Alckmin atravessaram a praça e se reunirem com funcionários do Hospital Regional. Sem entrar na unidade hospitalar, para não ferir a legislação eleitoral, a dupla ouviu, na calçada, informações sobre a situação do hospital da diretora Lenilda Ramos, que lembrou ter sido vice-prefeita de Ricardo Pinheiro, no PSDB, com apoio do ex-governador e ex-tucano. O dirigente do Sindsaúde, Gervásio Foganholi, também falou a sobre a situação dos funcionários dos hospitais públicos no estado.

PRAÇA – Mesmo atrasados para sequência da agenda, em Marília, Haddad e Alckmin se dirigiram à praça da Catedral, onde militantes estavam reunidos.

Eles voltaram a discursar e pedir apoio da militância na reta final de campanha.

1240 capa melhor

Haddad e Alckmin encerraram a visita na praça da Catedral

 

 

 

Check Also

A056 – Sepultamento em Assis neste dia 23 de abril

No período da manhã, às 10 horas, será sepultada a senhora Dinar Rodrigues Peres, de …

Deixe uma resposta